CAPA lança campanha Comida boa na Mesa

IMG F1F4CE F60381 CA6568 AB7485 093291 315E39

“Comida boa é cheiro, é comunhão, é uma ação solidária e política de quem come e de quem produz”, afirmou Ingrid Giesel, coordenadora do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA)/núcleo Erexim, durante o lançamento da campanha Comida boa na Mesa (veja o vídeo aqui), realizado dia 6 de abril, em Porto Alegre (RS).

A campanha promove o reconhecimento do papel da agricultura familiar na produção e consumo de alimentos saudáveis, das feiras e cooperativas na promoção do comércio justo e solidário e das organizações de apoio. Além disso, é um espaço para articulação de ações de incidência pública.

No evento, foi feito o lançamento do videoclipe Comida Boa na Mesa, produzido com o protagonismo de agricultoras e agricultores familiares, quilombolas e indígenas apoiados pelos cinco núcleos do CAPA, localizados em Erexim, Pelotas e Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, além de Marechal Cândido Rondon e Verê, no Paraná. Também foi apresentada a canção-tema de mesmo nome, composta especialmente para a campanha. Banners com imagens do trabalho no campo, da comercialização em feiras e de momentos de famílias à volta da mesa incluem a lista de materiais que vão dar visibilidade à iniciativa.

“Lembro a criação do CAPA, pela Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), como um grande desafio de fazer com que a fé tivesse expressão no dia-a-dia”, disse o pastor presidente da IECLB, Nestor Friedrich, na oportunidade. “Olhando para essa história, vejo que fomos muito teimosos, e hoje é possível perceber o quanto essa proposta avançou.”

O pastor presidente também falou sobre a conexão do trabalho do CAPA com o tema e lema da IECLB em 2016 no que se refere ao cuidado com a fé, as pessoas e a natureza: Pela graça de Deus, livres para cuidar e o lema Buscai o bem e não o mal, de Amós 5.14ª.

A secretária executiva da Fundação Luterana de Diaconia (FLD), Cibele Kuss, afirmou que comida boa na mesa é cultura, religiosidade, democracia e justiça de gênero. “A campanha nos conecta com a espiritualidade e a prática radical e subversiva de Jesus que viveu e proclamou a inclusão de todas as pessoas e o cuidado da terra, afirmando que a mesa é lugar para todas as pessoas, ninguém ficará de fora e ninguém ficará com fome” .

Na sua fala, o representante da Rede Ecovida, Laércio Meireles, declarou que o assunto “comida boa” está sendo colocado cada vez mais na mesa de discussão. “A iniciativa tem um nome singelo e um profundo significado”, disse. “O CAPA está de parabéns.” A Rede Ecovida é um espaço de formação de agricultoras e de agricultores familiares ecológicos, de troca de experiências, de produtos e de informações. Um dos seus serviços é a Certificação Participativa Solidária.

“Essa campanha nasce do amor e da esperança de que todas as pessoas que ainda passam fome tenham alimento”, disse a representante do Movimento Agroecológico Latino Americano (Maela), a argentina Alícia Alem. O Maela articula organizações campesinas, de famílias agricultoras, comunidades indígenas e organizações sociais, em defesa da agroecologia.

Nota pública

O lançamento da campanha aconteceu durante o Seminário Comida boa na Mesa – Agroecologia em defesa da vida, realizado de 5 a 7 de abril, em Porto Alegre (RS). Com a participação de integrantes das equipes do CAPA, de representantes dos conselhos, de agricultoras e agricultores familiares e organizações convidadas, o encontro debateu e reafirmou as políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia, discutindo também o papel estratégico das organizações da sociedade civil no controle social e incidência pública.

Ao final do seminário, o CAPA lançou a nota pública 'Em defesa da democracia, agricultura familiar e agroecologia'. Leia a nota aqui.