Secretária-Geral do CONIC cumpre agenda na Alemanha

ret 0033 1400px

A última quinzena do mês de maio foi bastante movimentada para a secretária-geral do CONIC, Romi Bencke. Entre os dias 18 e 30, ela cumpriu uma série de compromissos representando o Conselho de Igrejas. Romi é pastora luterana, vinculada à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB).

Consulta Educação, Transformação e Reforma

De 18 a 22, Romi participou da Consulta Educação, Transformação e Reforma. O evento, que está inserido no contexto do jubileu da Reforma Protestante (que em 2017 completa 500 anos), foi realizado em Halle e é uma continuidade da Consulta – de mesmo teor – realizada 2015, em São Leopoldo (RS). O objetivo principal desse evento foi refletir sobre os significados da Reforma para a atualidade.

Cerca de 140 pessoas, oriundas de países da África, América Latina, América do Norte e da Europa, participaram das discussões. Entre os assuntos debatidos, em plenárias e oficinas, estava a relevância da Reforma para as tradições eclesiais originárias desse processo. Ações diaconais e sociais promovidas pelas diversas Igrejas envolvidas foram discutidas e avaliadas.

O documento final da Consulta enfatizou que são necessárias formas criativas e inovadoras para a promoção da aprendizagem ecumênica global, capazes de incentivar diálogos interculturais e parcerias transnacionais entre diferentes igrejas. Ao mesmo tempo, as congregações e igrejas precisam ser transformadas para que nenhuma pessoa seja excluída.

A transformação exige o envolvimento de todo o povo de Deus. As vozes dos povos indígenas devem ser ouvidas, as mulheres valorizadas como sujeitos. As comunidades deveriam compreender-se como comunidades de diversidade intercultural, abertas ao diálogo e à mudança.

Para que as igrejas sejam agentes de transformação é necessário abertura para o contexto e a tolerância. Igrejas precisam ser agentes de reconciliação, oferecendo um testemunho profético.

Em relação ao atual contexto mundial, o documento final da Consulta destacou que o mundo precisa de transformação. As realidades são de fragmentação e conflitos. Muitas das tensões atuais envolvem fundamentalismo religioso. Muitas violências são justificadas com a instrumentalização da religião. É tarefa da educação teológica promover uma compreensão crítica dos textos sagrados e das tradições religiosas para superar o comportamento religioso que legitima a promoção da violência e das divisões entre diferentes tradições de fé.

A Reforma Protestante foi um não à ganância financeira, à corrupção e à idolatria religiosa. Os princípios da Reforma têm profundas implicações para o reconhecimento, promoção e desenvolvimento de alternativas para as realidades econômicas atuais. Por isso, é fundamental o empenho em favor dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio da Organização das Nações Unidas. Igrejas e organizações religiosas têm um contributo significativo para oferecer. Elas podem contribuir para o fortalecimento da relação entre educação e de desenvolvimento holísticos. Nestas tarefas, transformação social, ecológica, econômica e espiritual precisa ir de mãos dadas.

A Consulta foi promovida por: Pão Para o Mundo, EMW, Faculdades EST, martim-Luther Universität Halle-Wittenberg, Frankesche Stiftungen zu Halle, e recebeu o apoio de: CMI, Federação Luterana Mundial, EKDA (Igreja Evangélica da Alemanha) e Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas.

Do Brasil, participaram pessoas das Faculdades Est (professores e estudantes), CONIC e Pe. Elias Wolff (Católico Romano e membro da Comissão Teológica do CONIC).

Outros compromissos

Também fizeram parte da agenda da pastora Romi as seguintes atividades:

- 23 a 25 de maio: reunião de trabalho com Misereor

- 25 a 27: reunião com Christian Aid

- 28 a 30: participação no Dia da Igreja Católica, em Leipzig