CESE encerra Assembleia com carta reflexiva sobre a conjuntura

Assembleia

Cumprido com a prática de apresentar relatórios e discutir anualmente as diretrizes e perspectivas da organização, a Assembleia Geral da CESE foi encerrada nesta sexta-feira (10) com carta reflexiva sobre a conjuntura e o compromisso das igrejas e organismos ecumênicos com as com as lutas populares e as liberdades democráticas.

Estiveram presentes representantes de organizações como CEADe, Cáritas Brasileira, Koinonia, Odara, IDEAS e Associação Gamboa de Baixo e as Igrejas IEAB (Episcopal Anglicana do Brasil), IPU (Presbiteriana Unida do Brasil), ABB (Aliança de Batistas do Brasil), ICAR (Católica Apostólica Romana), IECLB (Evangélica de Confissão Luterana no Brasil) e IPI (Presbiteriana Independente do Brasil).

Carta da Assembleia da CESE
09 e 10 de junho de 2016

“Por isso é que hoje temos esperança;
que lutamos destemidos; que olhamos com confiança,
para o porvir dos povos oprimidos” (Federico Pagura)

Reunidas em Assembleia da CESE, nós, pessoas das distintas Igrejas que compõem essa entidade ecumênica, declaramos nosso compromisso com a esperança.

A vocação diaconal e a indignação ética soprada em nossos corações pelo Espírito desvenda nosso olhar sobre o violento avanço contra as instituições democráticas no Brasil. Isso tem consequências desastrosas sobre o Estado como garantidor de direitos para as populações atingidas pelas desigualdades e a propagação do ódio entre as pessoas.

A vida da população negra, das mulheres, das comunidades e povos tradicionais, entre tantas, está ameaçada, assim como a igualdade entre as religiões. Nossas visões e braços seguem o desejo mais profundo de seguir abraçando essas irmãs e irmãos, em especial crianças e jovens, para quem esperamos que floresça uma Primavera para a Vida.

Como pessoas cristãs declaramos nosso repúdio aos que têm usado a bíblia para justificar a retirada de direitos de nossa Constituição de 1988.
“Tudo que fizerem a um desses pequeninos, a mim o fazeis” (Mt 25, 40) é o que proclamamos que será a ressurreição para todas e todos, nascida da solidariedade e da defesa do bem comum, humildemente reconhecendo nossa ligação com o mundo habitado e toda a criação representada na “Mãe Terra”, nossa Casa Comum.

A CESE estará presente nas comunidades eclesiais, nos recantos e nas ruas, pela democracia e pelos direitos humanos em sua integralidade, em cada pequeno projeto apoiado, em cada formação realizada, em cada articulação e ações de incidência.

A CESE reafirma que a teimosia do amor, que é divino, seguirá como luz para nosso caminhar.
As derrotas prenunciam as vitórias e a profecia de um novo tempo deve animar a todas e todos a permanecerem mobilizados. Sigamos em unidade. NÃO VAMOS DESISTIR.

Salvador, 10 de junho de 2016