São Paulo: reunião do movimento global Lado a Lado

Lado a Lado é um movimento global de pessoas e organizações de fé que querem ver a justiça de gênero se tornar realidade na vida de mulheres e homens ao redor do mundo. No Brasil, essa foi uma proposta inicialmente apresentada pela Christian Aid a qual se somaram CONIC, Koinonia, SADD/IEAB e mais tarde a RENAFRO compartilhando o objetivo de trilhar de forma conjunta o caminho da justiça de gênero.O encontro teve por objetivo apresentar o movimento para outras organizações e planejar ações comuns.

6ffc3dec a800 492e a654 98cd26dcd6b6

No dia 14 de junho, em São Paulo, foi realizada uma reunião do grupo. A atividade foi iniciada com a partilha sobre como cada organização presente tem percebido o contexto brasileiro no que diz respeito a desigualdade de gênero. Diversos foram os temas tratados, entre eles, o fortalecimento de direitos, inclusão, fragilidade das políticas públicas como ferramenta de combare às desigualdades, conservadorismo religioso, direito das mulheres, população LGBT, etc.

"Retrocessos nos direitos das mulheres, da população LGBT, e o reforço ao modelo tradicional de família têm sido protagonizados por setores religiosos e apresentam a necessidade de um ação coordenada para contrapô-los. Essa ação precisa envolver atores ecumênicos, mas também construir alianças e parcerias com o movimento de mulheres. Nesse sentido, é importante reconhecer que não há um só caminho, mas que diferente estratégias precisam estar articuladas", declarou a secretária-geral do CONIC, Romi Bencke.

Que respostas têm sido dadas diante dessa realidade e quais outras poder ser articuladas?

Os participantes concluíram, entre outras coisas, que está curso muitas experiências de promoção da justiça de gênero envolvendo igrejas locais e movimentos sociais, com incidência junto ao Congresso Nacional e coletivos de juventude. Neste sentido, seria importante evidenciá-las, mostrando sua relevância para a superação da desigualdade de gênero.

Participaram: Christian Aid, CONIC, RENAFRO, União das Mulheres Anglicanas do Brasil (UMEAB), Assessoria de Direitos Humanos Igreja Metodista 3ª Região, Evangelicas Pela Igualdade de Gênero-EIG, CLAI- Brasil - Igreja Batista do Pinheiro. E os teólogos: Maryuri Mora Grisales, Nancy Cardoso Pereira e Ronilson Pacheco.