Os 70 anos da bomba de Hiroshima e os Jogos Olímpicos

Hiroshima 097976675Hiroshima, após a queda da bomba

“Bem aventuradas as pessoas pacificadoras,
porque elas serão chamadas filhas de Deus”. (Mt 5.9)

 

Assistiremos hoje, 5 de agosto, a abertura dos jogos olímpicos, também conhecidos como jogos da paz. Um momento de celebração das diversidades culturais, das diversidades e da beleza do encontro entre povos.

Amanhça, 6 de agosto, lembraremos os 70 anos em que o mundo foi surpreendido com o lançamento da bomba atômica sobre Hiroshima. Os impactos e as conseqüências deste ato de terror são conhecidos por toda a terra habitada.

Hiroshima e também Nagasaki lembram-nos do quão perversa pode ser a irracionalidade humana. Lembra também do quão perverso pode ser a ambição por poder.

Os jogos olímpicos acontecem em um mundo caracterizado pelos mais diversos tipos de violência e de guerras. As disputas, sabe-se, são pelo controle geopolítico das riquezas naturais. O desejo de grupos financeiros por controle e lucro impacta a vida das pessoas. Por isso temos tantos migrantes, refugiados, apátridas. Por isso, também, a intolerância religiosa, o racismo e a xenofobia.

No Brasil, é impossível não lembrar do povo guaranis-kaiowás, dos povos de terreiro, das mulheres violentadas, dos movimentos sociais criminalizados, da intolerância religiosa que se expressa também na islamofobia.

Os 70 anos da bomba de Hiroshima nos fazem lembrar de todas estas violências. São 70 anos de pouca disposição em nos transformarmos e em assumirmos a paz como dimensão inegociável de nossa existência.

Jogos Olímpicos, a festa da paz, lembram-nos da paz que não temos.

Deixamos como homenagem a todas as pessoas que sofrem com os impactos da ambição dos grandes grupos econômicos o poema de Vinicius de Morais – Rosa de Hiroshima. É uma reflexão pra lá de atual...

Rosa de Hiroshima
Vinicius de Moraes

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa, sem nada

CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil