Em carta, CEBI denuncia "golpe a serviço do deus Mercado"

Em reunião ocorrida entre os dias 5 e 7 de agosto, a Direção e o Conselho Nacional do CEBI emitiram nota em forma de carta a todas as coordenações estaduais, às lideranças de grupos, conclamando para a defesa da democracia, para a resistência e para o permanente trabalho de formação nas bases. De acordo com a carta, “o que está acontecendo no Brasil faz parte de um projeto que visa destruir os pequenos avanços dos últimos anos, para reconstituir o poder ‘absoluto’ do capital/mercado, que se tornou um verdadeiro deus. Para poder viver, precisa do sacrifício, do sangue e da vida de muitas vítimas humanas. É neste contexto que se insere o golpe de estado em curso no Brasil”.

golpe br8765

A Direção ainda informa que serão elaborados roteiros de estudo a serem disponibilizados a todas as comunidades e grupos que queiram conversar mais sobre o momento atual, à luz de uma leitura bíblica libertadora: “Sabemos pela história que cada império é destinado a ser engolido por outro mais forte. Nós, porém, podemos ser a pedrinha que bate nos pés de barro e faz ruir a grande estátua do gigante imperial (Dn 2,34-35). Por isso, também insistimos na importância de assegurarmos momentos para a análise de conjuntura em nossas atividades.”

Veja a íntegra da carta:

Brasília, 07 de agosto de 2016.

Caríssimas/os Companheiras/os de caminhada,

Nós, que fazemos parte do Conselho Nacional e da Direção do CEBI, estivemos reunidos/as em Brasília, na casa da Simone, nos dias 5 a 7 de agosto último. A reunião, que estava prevista no nosso calendário, foi muito boa e proveitosa. Conversamos sobre vários temas inerentes à condução do CEBI e à sua organização. As pessoas que representam as Regiões contaram as coisas boas e as dificuldades que acontecem nos estados. Também refletimos sobre vários aspectos do CEBI e paramos um tempo para entender melhor a situação conjuntural que o nosso país está passando.

É por causa desse último ponto que enviamos esta carta a todo o povo do CEBI, para dizer que não podemos esmorecer. A corrupção e a politicagem não são de agora e fazem parte de uma cultura que está presente na maioria dos centros de poder e que poderíamos chamar de satânica. O grande capital internacional não é estranho a este jogo de interesses. Claramente, o que está acontecendo no Brasil faz parte de um projeto que visa destruir os pequenos avanços dos últimos anos, para reconstituir o poder “absoluto” do capital/mercado, que se tornou um verdadeiro deus. Para poder viver, precisa do sacrifício, do sangue e da vida de muitas vítimas humanas. É neste contexto que se insere o golpe de estado em curso no Brasil, impondo ao povo um governo elitista, branco, rico, machista e misógino.

É a eterna luta entre o “dragão” e as forças da vida que, no livro do Apocalipse, são representadas pela mulher grávida que está para dar à luz (Ap 12).

Nesta conjuntura, como pessoas cristãs que acreditam nas forças da Vida, somos chamadas/os a testemunhar a Ressurreição. Precisamos assumir a defesa e o aperfeiçoamento da democracia. Mesmo frágil e insuficiente, ela é fruto de nossas lutas históricas. Como foco de nossa ação enquanto CEBI, usando a Palavra como dom que ilumina e marca o caminho da Vida, devemos reforçar cada vez mais o nosso trabalho de Leitura Popular da Bíblia junto aos grupos de base, nos Círculos Bíblicos. Nosso compromisso é contra todo e qualquer império que destrói a Vida, sobretudo a vida dos pobres e do meio ambiente. Não aceitaremos alianças com qualquer projeto que venha trajado de novo em suas falas, propagandas, mas que esteja a serviço do grande império capitalista (Ap 13,1-18).

Sabemos pela história que cada império é destinado a ser engolido por outro mais forte. Nós, porém, podemos ser a pedrinha que bate nos pés de barro e faz ruir a grande estátua do gigante imperial (Dn 2,34-35). Por isso, também insistimos na importância de assegurarmos momentos para a análise de conjuntura em nossas atividades.

Somos muitas/os, embora pequeno rebanho. No entanto, podemos unir as forças e funcionar como areia no motor, impedindo que o grande capital tome conta da vida de milhões de pessoas no mundo todo, destruindo a natureza, a água, e enchendo tudo de poluição, de agrotóxicos, de sujeira venenosa. Sabemos que seu objetivo é favorecer exclusivamente o lucro dos que devoram a vida do povo pobre.

Como grande família, sintamo-nos juntas/os nesta luta e nesta caminhada, longa e difícil, mas que nos faz reviver a caminhada do Êxodo, que se repete a cada geração. Estamos na travessia do deserto, CAMINHO para chegar à terra da vida solidária e justa, do “BEM VIVER”. Esta é a nossa missão: “Hoje, Moisés é a gente...”!

Um abraço fraternal e sororal, cheio de Esperança e Ressurreição, com o desejo de que possamos sempre caminhar e lutar juntas/os.

A Direção e os membros do Conselho Nacional