540x350 hospital bolsa do samaritano
 
Combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) estão sendo salvos pela ajuda de cristãos que trabalham em um hospital de campanha da organização Bolsa do Samaritano, instalada em Mossul, no norte do Iraque. Segundo o pastor Franklin Graham, presidente da organização, a equipe médica do hospital estende seus cuidados não apenas aos cidadãos e soldados iraquianos, mas também aos jihadistas do EI.
 
“Em nosso hospital instalado próximo a Mossul, no Iraque, estamos tratando os muçulmanos, civis feridos e, ao mesmo tempo, militantes do EI gravemente feridos. Nossas equipes médicas realizam cirurgias, curam suas feridas e os tratam com compaixão, os ajudando em nome de Jesus”, disse Franklin Graham.
 
Hospital
 
O hospital, mantido pela Bolsa do Samaritano, que é uma instituição vinculada a igrejas americanas, foi inaugurado no início de janeiro, a cerca de 10 quilômetros de Mossul, se tornando a unidade médica mais próxima da coalizão militar que se esforça para combater o grupo terrorista.
 
Logo nos primeiros dias de operação, o hospital e sua equipe - de mais de 70 profissionais - médicos já atenderam mais de cem pessoas gravemente feridas pelo conflito.
 
O diretor do hospital, Elliott Tenpenny, disse ao site The Christian Post que a maioria dos pacientes que o hospital recebe sofre de uma série de ferimentos graves causadas pela guerra, como ferimentos de metralhadoras, fuzis e outras armas de fogo, além de queimaduras. Ele acrescentou que “cada um deles carrega um trauma da guerra e todos precisam de cirurgias ou estão criticamente doentes e precisam de tratamento”.
 
Com informações do Guia-me / Christian Today
Foto: Reprodução