Aliança de Batistas se posiciona contra reforma da Previdência

“Seja maldito todo poder secular ou religioso que anuncie outro evangelho” (Gl 1,8 – paráfrase).

Nós, da Aliança de Batistas do Brasil, repudiamos o teor do projeto de Reforma da Previdência. Essa reforma se acrescenta a uma série de outros projetos que consideramos injustos por desequilibrar ainda mais a relação capital- trabalho, estruturalmente danosa para o trabalhador e para a classe mais pobre do nosso país.

ABB ok

Essa reforma ameaça ainda mais a qualidade de vida de idosos e idosas. O sistema atual de previdência já apresenta fragilidades que ao longo do tempo vem tirando o poder aquisitivo de aposentados e pensionistas. 

Devido à mais baixa expectativa de vida e à progressiva dificuldade de inserção no mercado de trabalho por faixa etária, a população mais pobre será atingida com mais violência. Desse modo, está embutida no projeto atual uma crueldade genocida, sendo que, não devemos esquecer que esse projeto se ocupa em ceifar prioritária e, majoritariamente, a vida das mulheres e, destas, as mulheres negras e/ou camponesas serão as primeiras a serem dizimadas, uma vez que os nefastos efeitos do patriarcado, somados às perversidades do capitalismo, tendem a extenuar ainda mais a vida dessas mulheres.

Mesmo diante de resistências e protestos de grande parcela da sociedade civil, o projeto de reforma da previdência tem sido apresentado de modo adocicado pela mídia, o que demonstra mais uma vez a leniência e parcialidade dos meios de comunicação. O projeto tem sido apresentado como um evangelho, anúncio de salvação da pátria e do povo brasileiro.

A palavra evangelho é muito cara para nós, batistas, Denunciamos, então, esse projeto como um falso evangelho ou como um dysangelho, divulgação de um tipo de mundo contrário ao desejado por Deus.

A confluência atual de um presidente não eleito, um legislativo venal e um judiciário inconsistente, ameaça garantias e direitos duramente conquistados pelos mais necessitados e necessitadas. A justificativa do projeto através de cálculos fortemente questionados sobre déficit da previdência e a falta de iniciativa sobre uma auditoria da previdência, prevista na constituição, demonstram a iniquidade dos interesses que realmente direcionam tais medidas.

Diante de tudo isso, consideramos malditos todo e qualquer poder secular ou religioso e toda e qualquer pessoa que apoie esse projeto de reforma da previdência, entendendo que assim se tornam cúmplices da perversidade genocida proposta.

Que os pequenos riachos da justiça continuem correndo até convergirem em caudaloso rio (com as imagens de Amós 5,24).


Maceió, 21 de março de 2017


Pr. Marcos Adoniram Lemos Monteiro
Nívia Souza Dias


Joel Zeferino
Presidente da Aliança de Batistas do Brasil