Indígenas Gamela são vítimas da barbárie no Maranhão

O Processo de Articulação e Diálogo Internacional (PAD) vem a público repudiar o ataque cruel contra a vida dos indígenas do Povo Gamela em seu território, no Povoado de Bahias, município de Viana (MA).Mais de dez indígenas Gamela foram cruelmente atacados no último domingo (30) e um deles teve as mãos decepadas, segundo o Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

Gamela de

A ação violenta aconteceu quando os indígenas decidiram sair de uma área tradicional retomada prevendo a violência iminente e foram atacados por dezenas de pistoleiros armados com facões e armas de fogo no momento que deixavam seu território. Não mais suportando a violenta invasão, os indígenas intensificaram sua luta e decidiram por retomar seu Território sagrado.

A Comissão Pastoral da Terra Regional Maranhão (CPT-MA) denunciou em Nota, que “A ação criminosa e violenta ocorrida neste domingo foi planejada e articulada por fazendeiros e pistoleiros da região, que, através de um texto no Whatsapp, convocavam pessoas para o ataque contra os indígenas”.

"Adeli Ribeiro Gamela foi atingido por um tiro na costela e um na coluna, e teve mãos decepadas e joelhos cortados. O irmão dele, José Ribeiro Gamela, levou um tiro no peito", disse a Pastoral da Terra em comunicado, acrescentando que o terceiro hospitalizado foi atingido com tiros na cabeça, no rosto e no ombro. Ao todo dez indígenas Gamela foram violentamente atacados.

Segundo a CPT Maranhão há um alto índice de violência contra os povos e comunidade tradicionais do Maranhão. Atualmente, há cerca de 360 conflitos no campo no estado, destes, somente em 2016 foram registradas 196 ocorrências de violência contra os povos do campo. 13 pessoas foram assassinadas e 72 estão ameaçadas de morte.

Nós do PAD solicitamos a investigação ampla e irrestrita sobre mais esse crime contra os povos indígenas pelas autoridades federais e, imediata posição da Polícia Federal para a garantia dos direitos dos povos Gamela e a proteção às suas vidas.

BASTA DE VIOLÊNCIA CONTRA OS INDÍGENAS

Convocamos toda as organizações da Sociedade Civil a promover ampla denúncia do caso aos mais altos orgãos nacionais e internacionais em defesa das vítimas e do povo Gamela e pela proteção e garantia de direitos de todos os povos indígenas do Brasil. Basta de violência!