Cristãos e muçulmanos juntos por uma "Aleppo mais bela"

RV26509 Articolo

Dar uma nova vida àquela que, por longo tempo, foi o epicentro do conflito sírio, deixando para trás morte, destruição, combates entre facções que dividiram a cidade em dois.

Este é o objetivo do projeto “Aleppo mais bela” - lançado pela comunidade católica latina, em colaboração com a prefeitura da segunda cidade em importância da Síria – que tem a intenção de fazer renascer do pó e dos escombros uma renovada ideia de beleza, de limpeza, de ordem, pois a paz passa também por meio da organização das ruas, casas, comércio e pequenas atividades.

Cristão e muçulmanos trabalhando lado a lado

A iniciativa ganhou corpo nos dias passados, com uma solene cerimônia inter-religiosa presidida pelo Padre Ibrahim Alsabagh - franciscano de 44 anos, guardião e pároco da Paróquia latina de Aleppo – na área adjacente ao templo. Na celebração, também tomaram parte representantes do governo e membros da comunidade muçulmana.

O primeiro gesto concreto – conforme relatou o sacerdote à Agência Asianews – “foi a pintura do meio-fio das calçadas”. “E foram as próprias autoridades a dar as primeiras pinceladas” nas ruas e vielas, que ainda preservam sinais do conflito.

Tornar “Aleppo mais bela” – acrescentam os promotores – é uma “preocupação” e um “desafio” que “une” cristãos e muçulmanos, porque – como sublinharam líderes muçulmanos – não são as religiões que alimentam a guerra. A fé é fonte de paz, de renascimento, de convivência harmoniosa”.

Segundo os membros da paróquia, este projeto “nos faz uma só nação, uma só família, independente da religião ou de nossas convicções”.

Recuperar o “maravilhoso” mosaico da “nossa sociedade”

“Ademais – acrescenta Padre Ibrahim – nos demos conta, desde o início, que esta iniciativa é uma boa oportunidade para recuperar ou renovar aquele maravilhoso mosaico que é a nossa sociedade”.

“Lutamos com amor pela nossa cidade mártir – prossegue o sacerdote – com o desejo de promover a reconciliação em uma realidade que ainda permanece ferida e dilacerada. E fazer isto hoje adquire ainda uma maior relevância, para que o bem seja contagiosa e possa, assim, ser transmitido e propagado”.

Neste sentido, o convite da comunidade católica local é extensivo a todas as igrejas, aos escoteiros cristãos, aos movimentos eclesiais, enfim, a todos os habitantes da cidade, cristãos e muçulmanos, sem distinção de fé.

“A paróquia latina – diz Pe. Ibrahim – assumiu os custos do projeto e adquiriu todo o material necessário”.

Envolvimento dos jovens

Ao falar sobre os primeiros dias da iniciativa, o sacerdote conta que “todos os jovens da nossa paróquia junto a homens e mulheres de boa vontade – cerca de 200 pessoas – armados de pincéis, baldes e tinta, foram à conquista da cidade, para torná-la mais bela”.

O projeto terá continuidade nos próximos dias, seguindo uma orientação bem precisa: os voluntários serão subdivididos em equipes, cada uma das quais composta por 10 pessoas e um responsável.

A área a ser limpa e pintada será subdividida em setores e cada equipe será responsável por algumas ruas e vielas.

Centro de verão

Ao mesmo tempo, a paróquia organiza um “centro de verão” para as crianças, com o lema “Com Jesus, trazemos cor para a vida”.

Centenas de crianças (cerca de 860, segundo as estimativas), entre 4 e 15 anos, já aderiram à iniciativa, um número que triplicou em relação aos anos precedentes.

Assim, por dois meses, os jovens poderem desenvolver inúmeras atividades, da dança ao esporte, da música às artes.

Por meio destes “pequenos gestos” e “pequenas ações” – conclui o sacerdote – podemos “reconstruir juntos a nossa cidade e a nossa sociedade”, aproveitando “o grande potencial” que existe na Igreja e na comunidade católica da cidade.

E “é nosso dever e nossa missão compartilhar este grande potencial” e contribuir ao bem-estar de todos os nossos irmãos e de todas as nossas irmãs.

Fonte: Rádio Vaticano
Foto: Reprodução