Conferência reúne católicos e evangélicos pela unidade

conf cee 0

Entre os dias 5 e 6 de agosto, aconteceu a I Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um, reunindo católicos e evangélicos que, juntos, oraram e adoraram ao único Deus. Aberto ao público em geral, o espaço foi preenchido por cristãos de diferentes denominações. Logo pela manhã do sábado, a palavra foi ministrada pelo Pastor Mike Herron, pianista, compositor e um dos líderes fundadores do "John 17 Movement" (Movimento João 17), uma iniciativa internacional que promove a unidade entre os cristãos nos Estados Unidos. Ele falou a respeito da repreensão de Jesus sobre a divisão promovida pelos discípulos em Marcos 9:38. “O que Jesus nos exorta é que católicos e evangélicos parem de interromper a missão um do outro, mas se esforcem para caminharem em unidade e, juntos, promovam a paz.”

Um exemplo disso é o que relatou o Padre João Henrique, da Comunidade Aliança de Misericórdia, na segunda palavra do dia, sobre um trabalho social realizado na Favela do Moinho, região central de São Paulo. Ali, católicos e evangélicos levam juntos ajuda material e espiritual à crianças e adultos carentes.

Por causa desta ação em nome do evangelho, o padre conta que o arrependimento brota entre os assistidos. "Eles não se conformavam com o fato de irmos até eles apenas para limpar sua sujeira e nos diziam que, por causa disso, acreditavam na existência de Jesus". O padre também disse ser esse o começo de um novo tempo, em que cristãos de diferentes denominações, por se converterem à palavra, fazem nascer um tempo de esperança, principalmente para os que se encontram à margem da sociedade.

Esteve presente ainda o padre Eduardo Douguerty, considerado o pai da Renovação Carismática Católica (RCC) no Brasil e fundador da TV Século 21. Padre Eduardo falou a respeito da missão de Jesus quando veio à terra, em unir a vontade humana com a vontade divina e ressaltou: “o Pai é nosso!”, referindo-se à unidade implícita na oração ensinada por Jesus.

O presidente do conselho da RCC no Rio de Janeiro, Vinícius Simões, também marcou presença na conferência e relembrou algumas falas do Papa Francisco com relação à unidade. Além disso, Vinicius reforçou a importância de caminhar juntos. “O Espírito Santo está nos unindo com laços celestiais porque o mundo precisa conhecer Jesus. A missão das igrejas não é suficiente estando separadas, pois para ser efetiva é preciso que estejam juntas”.

Já quase ao final do sábado, Padre Antônio José, que é assessor da RCC do Rio, também falou sobre a unidade desejada por Cristo, relembrando que Jesus ao preparar a casa do Pai pensava em paz e não em guerra. Padre Antônio ainda salientou a importância de não proferirmos o nome de Deus em vão. "Quando usamos o nome do Senhor para julgar os irmãos de outras denominações estamos ferindo seu santo nome".

Dom Roque Costa Souza, Bispo Auxiliar e assessor para o Ecumenismo na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro lembrou aos presentes que não é possível fazer a unidade sem o amor que Cristo nos ensinou. “Nós podemos transformar o mundo em que vivemos através da prática do amor. Que a nossa vida seja um verdadeiro testemunho da unidade”, convocou Dom Roque.

Finalizando o terceiro dia da conferência, Padre Vicente de Paula Neto, moderador-geral da Comunidade de Bethânia e sucessor do Padre Léo em seu trabalho de recuperação de dependentes químicos, dividiu com os presentes sua experiência com a unidade dos cristãos, despertada após assistir o pedido de perdão feito por pastores a irmãos católicos.

O sábado também contou com a participação especial dos pastores Asaph Borba e Bené Gomes durante os momentos de louvor, além da cantora católica Olívia Ferreira. Foi divulgado ainda durante o encontro ecumênico, a produção de um documentário a respeito da unidade da igreja no Brasil. De acordo com o idealizador do evento, Izaias de Souza Carneiro, membros de uma igreja Batista são os responsáveis pela captação e construção desse documento para a história da unidade cristã no País.

O domingo e último dia da Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um começou com uma missa celebrada na Paróquia Nossa Senhora da Vitória, Barra da Tijuca, para os católicos e aberta à participação dos evangélicos. Já na Cidade das Artes, local do evento, a primeira ministração foi dada pelo Padre Dr. Marcial Maçaneiro, SCJ, que faz parte da Comissão Internacional de Diálogo Católico-Pentecostal (Vaticano) e integra a equipe de serviço do Encontro de Cristãos em Busca de Santidade e Unidade (ENCRISTUS) no Brasil.

Na condição de representante de Dom Francisco Biasin, que é presidente da Comissão Episcopal e Pastoral para o diálogo ecumênico e inter-religioso da CNBB e Bispo da Diocese de Barra do Piraí, em Volta Redonda no Rio, Padre Marcial leu aos presentes uma carta enviada por Dom Francisco em que ele aponta a celebração da unidade como memorial, invocação e profecia de um mundo novo. Dom Francisco também pede que os cristãos orem e trabalhem a fim de criar as condições necessárias para que irmãos de todas as igrejas se unam e possam ir juntos ao encontro do Senhor. "Com certeza, na hora conhecida e preparada pelo Espírito, com a colaboração fiel e perseverante de todos, a unidade se realizará e será festa comum!", escreveu.

Em sua ministração, Padre Marcial falou sobre a diversidade dos dons distribuídos pelo Espírito (I Coríntios 12) e a centralidade para o qual todos eles apontam, que é Cristo. "As denominações recompõem a face inteira de Jesus. Ele dá o dom pensando no corpo todo, somos nós que os recebemos divididos", lembrou o padre. Ainda em sua participação, padre Marcial disse que a igreja é fruto da generosidade da Trindade, que revela sua diversidade nas pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo, sem que isso seja causa de divisão entre eles. "Pecado é quem transforma diversidade em partidarismo, imposição, divisão", pontuou.

Apesar das divisões observadas na igreja protestante após o avivamento Azuza, padre Marcial recordou aos presentes que Deus ainda continuou abençoando e derramando seu Espírito, o que demonstra sua graça abundante sobre os homens. Para o padre, as diferenças existentes entre os cristãos devem ser encaradas como parte importante do processo de amadurecimento que Deus deseja em sua igreja. "A diversidade compõe a comunhão e a comunhão é feita da diversidade".

Relembrando as palavras de Dom Roque em sua mensagem dada no dia anterior, padre Marcial reforçou também que a divisão ganha força na falta do amor e apenas o exercício deste curará as barreiras que nos separam e trará a unidade no corpo de Cristo. Ao olharmos para as diferentes características existentes nas denominações e reconhecermos sua contribuição para a igreja de Cristo estaremos caminhando para a cura da divisão. "Os metodistas dão ênfase aos métodos, os batistas ao batismo e os luteranos à justificação do pecador pela graça divina. Tudo isso é necessário para ajudar não somente as próprias comunidades mas todo o Corpo de Cristo. Igreja que não reconhece o batismo do outro, por exemplo, comete pecado. Porque quem batiza é a Trindade, não apenas a água", salientou padre Marcial.

Para o padre, nosso olhar dividido é também o que divide as escrituras. "Se Paulo dá ênfase à fé e Tiago às obras, a explicação é que os apóstolos dizem a mesma coisa com ênfases diferentes, apenas isso". Padre Marcial finalizou sua mensagem desejando que todos os dons sejam partilhados e não motivos de divisão no meio da igreja.

Na parte da manhã, houve ainda um forte momento de oração pelos jovens presentes na conferência. O jovem Padre Jorge Carreira, sacerdote do Clero Arquidiocesano do Rio de Janeiro e assessor para o Setor da Juventude em sua igreja local, já havia recordado no dia anterior a necessidade da oração dos mais velhos pelos mais jovens, no sentido de enviá-los à missão da unidade no Corpo de Cristo.

A Conferência Internacional Somos Um recebeu ainda no domingo a presença do prefeito da cidade, Marcelo Crivella, e sua esposa, Sylvia Jane. O presidente da Cidade das Artes (local do evento), André Marini, também compareceu ao espaço onde acontecia a conferência. O idealizador do projeto e fundador da Comunidade Coração Novo, Izaias de Souza Carneiro, agradeceu ao prefeito pela possibilidade do evento naquele espaço e lembrou que "o Rio de Janeiro é um lugar profético para a unidade da igreja no Brasil".

O prefeito Crivella disse ter "apreço e respeito aos católicos e por Dom Orani" e agradeceu aos padres e pastores presentes. Crivella afirmou que o Rio de Janeiro precisa de muita oração e disse ter ficado satisfeito por saber que ali católicos e evangélicos se reuniram para orar também pela nação brasileira. "Tudo que o Brasil não precisa é de uma guerra religiosa", finalizou.

Dom Orani João Tempesta também discursou aos presentes e lembrou que o evento já é tradição na Arquidiocese do Rio de Janeiro, que tem como objetivo celebrar a unidade, com inspiração na Vigília de Pentecostes e na Semana de Oração pela Unidade, além de outros encontros promovidos com várias igrejas cristãs. Segundo Dom Orani, "a oração pela unidade é importante e esse momento vem celebrar o ajuntamento dos cristãos, especialmente neste ano que é uma excelente oportunidade de pedirmos perdão uns aos outros e viver um relacionamento de fraternidade clamando a Deus que nos ajude a sermos unidos, pois no coração de Deus já somos um".

Dom Orani também leu para os presentes a carta enviada pelo Papa Francisco por ocasião da realização da I Conferência Internacional de Louvor e Adoração Somos Um. Na carta, o papa transmitiu "sua gratidão pela união orante e o afeto fraterno e, ao mesmo tempo, deseja a serenidade e confiança que brotam da certeza de termos no céu um Pai que não cessa de cuidar de todos nós até ao ponto de enviar seu Filho como Luz verdadeira, que vindo ao mundo, a todos ilumina (Jo 1:9)". O papa ainda pediu a abundância das bênçãos de Deus para os participantes do encontro e suas respectivas comunidades, solicitando a todos que também intercedam por ele.

Seguindo com os projetos para a causa da unidade entre os cristãos, foi divulgado ainda ao final da conferência o lançamento do primeiro DVD ecumênico do Brasil, previsto para o dia 13 de dezembro deste ano. O DVD foi gravado em 2016 na cidade de Valinhos, em São Paulo, por Izaias Carneiro e conta com as participações dos pastores Asaph Borba e Bené Gomes, além dos cantores católicos Olívia Ferreira e Tony Alisson.

conf cee 1

conf cee 2

conf cee 3

conf cee 4

Texto: Marina Venuto / Assessoria de Comunicação Somos Um
Fotos: Assessoria de Comunicação Somos Um