Igrejas arrecadam dinheiro para reconstruir terreiro em Duque de Caxias

 
 
Frente às violências perpetradas aos terreiros de candomblé no estado do Rio de Janeiro, e diante da destruição do terreiro Kwe Cejá Gbé, em Duque de Caxias (RJ), em 2014, a então presidente regional do Conselho Nacional de Igrejas no estado, CONIC-Rio, pastora Lusmarina Campos Garcia, luterana, teve a ideia de promover a reconstrução do mesmo com a ajuda de parceiros ecumênicos que, como ela, acreditavam que a ideia seria viável.
 
Aprovada pela então diretoria do CONIC-Rio, uma campanha de reconstrução foi iniciada. Nos primeiros meses a campanha conseguiu arrecadar R$ 2,121.85. Por motivos diversos, a captação de recursos acabou interrompida, mas uma das igrejas-membro do CONIC-Rio manteve-se mobilizada: a Igreja Cristã de Ipanema. Através da atuação sensibilizadora do pastor Edson Fernando, foi possível identificar um grupo de pessoas, dentre as quais dois empresários, Eduardo Wanderley e Simone Cadinelli, que retomaram a ideia e decidiram, então, fazer uma doação para que o compromisso assumido em 2014 pudesse ser cumprido. Na oportunidade, Eduardo e Simone ofereceram R$ 10,000.00.
 
Somado o valor inicial arrecadado, mais a doação dos dois empresários, acrescidas das contribuições coletadas nas igrejas, o terreio Kwe Cejá Gbé poderá, enfim, iniciar a reconstrução já neste ano, 2017.
 
Num café da manhã marcado para o dia 22 de novembro de 2017, as doações serão repassadas para Conceição d´Lissá, líder do terreiro.
 
A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio, através do seu interlocutor, o babalorixá Ivanir dos Santos, viabilizou o contato e a comunicação entre as pessoas e organizações envolvidas neste processo. “Mais do que a reconstrução do espaço físico, esta ação reconstrói relações e afirma que é a partir da solidariedade que é possível estabelecer a paz, a comunhão e o amor entre as diferentes religiões”, declarou Lusmarina.
 
“O compromisso ecumênico com uma agenda de respeito pelas diferenças e com o acolhimento às diversidades encontra uma ação de profunda importância nesta iniciativa de reconstrução do terreiro Kwe Cejá Gbé”, concluiu a pastora.