Bispo fala da realidade dos trabalhadores no Brasil para campanha da Adveniat

 
 
 
O bispo da diocese de Jales (SP) e referencial da Pastoral Operária Nacional, dom Reginaldo Andrietta, está na Alemanha participando da Campanha de Advento da Adveniat, agência de cooperação internacional do episcopado Alemão, que apoia vários projetos pastorais aqui no Brasil. A campanha que também tem como objetivo mobilizar doações para Adveniat para cooperar com projetos pastorais de outros países, dentre eles o Brasil, tem foco no mundo do trabalho. Para isso, dom Reginaldo, juntamente com dom Wilfried Theising viaja nessas duas semanas pelo campo de Oldenburg e Hamburgo, na Alemanha.
 
Dom Reginaldo falou da realidade dos/as trabalhadores/as do Brasil, após o golpe, e dos projetos de Teto dos Gastos, reformas trabalhistas e previdenciárias, o que vem caracterizando como “recaída na barbárie”. Ele já fez entender na Alemanha que “o governo brasileiro só atua a partir dos interesses das empresas e corporações estrangeiras que exploram o país.
 
Ao representar também a Igreja no Brasil no que se refere ao “mundo do trabalho” o bispo ressaltou que “a Igreja no Brasil está empenhada em combater os problemas sociais. Precisamos promover uma sociedade civil independente”. Reginaldo já exalta seu compromisso entre os alemães, expresso na nota da imprensa sobre uma palestra que fez para o conselho da Adveniat: ele mostrou que é muito comprometido em uma palestra para a comunidade de serviços do conselho oficial Episcopal Münster no St. Antoniushaus em Vechta.
 
Esse trabalho vem sendo preparado desde o Brasil desde março 2017, quando jornalistas representantes da Adveniat fizeram acompanhamento de algumas ações que Dom Reginaldo acompanha no Brasil, na Pastoral Operária, JOC e MTC. Para isso, fizeram-se registros audiovisuais e entrevistas dessas três organizações na região de São Paulo.
 
“Quando compartilhamos, não temos problemas. Mas podemos ajudar a aliviar a miséria “, havia dito antecipadamente o bispo auxiliar Theising. São Nicolau estava pronto para compartilhar. “Então, hoje podemos passar o dia com um coração aberto e mãos abertas.
 
As informações foram retiradas da nota da imprensa da Adveniat, que pode ser conferida no link: goo.gl/dCntUn.
 
Adveniat
 
A história do trabalho de ajuda a América Latina, Adveniat, começou no “inverno da fome” entre os anos de 1946 e 1947, quando milhares de pessoas na Alemanha morreram de fome ou devido as doenças relacionadas à miséria. As notícias e imagens desta extinção em massa abalou a América Latina, que logo se reuniram para ajudar as crianças e idosos famintos na Alemanha.
 
Esta ajuda não foi esquecida, nem mesmo quando a necessidade foi superada em 1950, iniciando o chamado milagre econômico. Até 1961 não havia nenhuma organização de apoio que abordasse as preocupações pastorais dos católicos na América Latina. Em 30 de agosto de 1961, foi proposto à Assembleia Geral da Conferência Episcopal Alemã uma “coleta especial” para a América Latina, que se realizaria no Natal em todas as igrejas da República Federal e Berlim Ocidental.
 
O sucesso desta primeira coleta possibilitou aos bispos produzir a coleta latino-americana para o Natal nos anos seguintes. Em 1969, os bispos tornaram-se oficiais. O que foi planejado para ocorrer apenas uma vez acabou se tornando a Ação Episcopal Adveniat, nome oficial da organização católica de ajuda à América Latina. Desde então foram arrecadados mais de 2,3 bilhões de euros, com os quais foram apoiados 3 mil projetos anuais de ajuda em toda a América Latina.
 
Fonte: Diocese de Jales
Foto: Florian Kopp / Adveniat