Inaugurada no Egito igreja dedicada aos coptas martirizados na Líbia

 
 
Foi inaugurada oficialmente, no dia 15 de fevereiro, na Província de Minya, no Egito, a Igreja dos “mártires coptas na Líbia”, dedicada aos 21 egípcios decapitados nas costas da Líbia em 2015 por terroristas da facção Estado Islâmico.
 
A igreja – localizada no povoado de Our, proximidades de Lamalut, área de onde provinham 17 dos 21 cristãos executados de joelhos em uma praia – “é um sinal muito positivo, porque imortaliza seus nomes e seus testemunhos ao Evangelho”, comentou o bispo copta-católica de Minya, dom Boutros Fahim Awad Hanna.
 
Tal iniciativa, que contou com total apoio do presidente egípcio, Abdul Fatah Khalil Al-Sisi, “encoraja todos os cristãos do Egito a serem firmes na própria fé”, apesar das adversidades, enfatiza.
 
A dor do Papa pelo ato bárbaro
 
O papa Francisco, informado do ocorrido, exprimiu horas mais tarde – ao receber uma delegação da Igreja reformada da Escócia – sua profunda tristeza, recordando que ao serem assassinados  eles pronunciaram a frase “Jesus, ajuda-me!”.
 
A Província de Minya
 
A dedicação da igreja aos mártires coptas egípcios na Líbia assume um significado particular na Província de Minya, região em que nos últimos tempos foram atacados locais de culto e habitações de cristãos.
 
Com informações da agência Vatican News
Foto: Reprodução / AFP or licensors