Mulheres ordenadas da IEAB repudiam perseguição contra Lula

 
 
Mulheres ordenadas da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) repudiaram, em uma declaração conjunta, a grave perseguição política contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 
 
A seguir, leia o texto completo da Declaração.
 
Nós, Mulheres Ordenadas (Diáconas, Presbíteras e Bispa Eleita), da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, registramos nossa INDIGNAÇÃO e nosso REPÚDIO, À GRAVE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA CONTRA o ex-presidente Luis Inácio LULA da Silva.
 
Consideramos honrosa e democrática a trajetória deste trabalhador brasileiro até chegar à Presidência da República. Ao assumir a direção do país tirou 40 milhões de brasileiros e brasileiras da linha da pobreza, implementando programas sociais, empoderando as mulheres com a criação da Secretária Especial de Políticas para Mulheres. LULA pagou o FMI, combateu o desemprego, manteve as leis trabalhistas, e ainda elevou o Brasil à sexta economia mundial. Empregou os recursos do país na melhoria da condição de vida para todos.
 
Constatamos que LULA sempre respeitou a justiça brasileira em todos os trâmites do processo que sofreu, em meio à pressa assustadora dos envolvidos em julgá-lo e condená-lo por corrupção. O poder judiciário brasileiro, no entanto, não respeitou o direito de contraditório e ampla defesa reiteradas vezes, condenando-o sem a imparcialidade necessária, culminando com uma apressada sentença de prisão, qualificando GRAVE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA.
 
Somos mulheres indignadas por vermos o ex-presidente LULA ser condenado por crimes que seus julgadores e julgadoras jamais conseguiram provar, sem direito de recorrer às últimas instâncias em liberdade, culminando com sentença de prisão, na mesma época em que sua liderança política é reconhecida internacionalmente, tendo sido indicado oficialmente para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz, pelo combate à fome no Brasil.
 
Somos mulheres inspiradas pela Ruah Divina e imitadoras do Cristo da fé, o qual fez história por assumir o compromisso com a dignidade humana, a justiça e a paz. Nós não vamos perder a esperança.
 
Somos mulheres que unimos nossas vozes na luta por um país democrático e no respeito à dignidade humana.
 
Somos ministras fiéis à nossa aliança batismal, conforme o nosso Livro de Oração Comum, na pág. 555, onde prometemos procurar transformar as estruturas injustas da sociedade, desafiando toda a sorte de violência, respeitando a dignidade de toda pessoa humana e buscando a paz e a reconciliação.
 
Assim faremos com a ajuda de Deus.
 
Subscrevemos,
 
1. Marinez Rosa dos Santos Bassotto, Bispa Eleita, Belém, PA.
2. Lilian Conceição da Silva, Presbítera, Recife, PE.
3. Inamar Corrêa de Souza, Presbítera, Rio de Janeiro, RJ.
4. Carmem Etel, Presbítera, Porto Alegre, RS.
5. Lilian Pereira da Costa Linhares, Presbítera, Caruaru, PE.
6. Lucia Dal Pont, Presbítera, Londrina, PR.
7. Jocinéia Saldanha Perpétuo, Presbítera, Rio de Janeiro, RJ.
8. Rosemary Ferreira da Cunha, Presbítera, Olinda, PE.
9. Maria das Graças Bernardino, Diácona, Cascavel, PR.
10. Bianca Daébs Seixas Almeida, Diácona, Salvador, BA.
11. Noilves Rosa da Silva, Presbítera, Concórdia, SC.
12. Volnice Maria de Almeida, Postulante, Londrina, PR.
13. Keila Bichet, Presbítera, Tubarão, SC.
14. Lúcia Borges, Presbítera, Aliança, TO.
15. Leane Rachel Kurtz de Almeida, Presbítera, Canoas, RS.
16. Meriglei B. S. Simim, Presbítera, Nova Lima, MG.
17. Selma A. Rosa, Diácona, Londrina, RS.
18. Carmem Akemi Kawano, Presbítera, São Paulo, SP.
19. Maria Isabel R. Lima, Diácona, Canguçu, RS.
20. Neusa Mara Pereira Valério, Pelotas, RS.
21. Arlinda Pereira, Presbítera, Rio de Janeiro, RJ.
22. Maytee de La Torre Diaz, Diácona, Ariquemes, RO.
23. Elaine M. Escaravajal Nascimento, Presbítera, Santo Antônio da Patrulha, RS.
24. Lidia Kistemacher, Presbítera, Florianópolis, SC.
25. Cláudia Regina Prates Batista, Presbítera, Porto Alegre, RS.
26. Taís Soares Feldens, Presbítera, Porto Alegre, RS.
27. Elineide Ferreira Oliveira, Diácona, Ariquemes, RO.
28. Tatiana Ribeiro, Presbítera, Brasília, DF.
29. Eliane Cristina Vieira, Presbítera, Caaporã, PB.
30. Tatiane Vidal dos Reis, Diácona, Novo Hamburgo, RS.