fbpx

Representante da Comunhão Anglicana recebe prêmio das Nações Unidas

 
Uma integrante do Escritório da Comunhão Anglicana (Anglican Communion Office) na ONU recebeu um prêmio em reconhecimento por seu trabalho exemplar na promoção da espiritualidade e dos valores nas Nações Unidas. Jillian Abballe, diretora de Advocacy do escritório, foi uma das cinco candidatas a receber o prêmio “Espírito das Nações Unidas” na categoria juventude.
 
O representante permanente da Comunhão Anglicana nas Nações Unidas, Jack Palmer White, afirmou: “Este prêmio é uma oportunidade maravilhosa para reconhecer a excelente contribuição de Jillian para fortalecer as relações entre a comunidade religiosa e as Nações Unidas, não apenas em seu cargo atual, mas durante todo o tempo em que trabalhou no âmbito de organizações religiosas e da ONU. Sua capacidade de construir parcerias colaborativas, articular questões complexas de maneira convincente e encontrar oportunidades de ação positiva e transformadora são apenas algumas das razões pelas quais esse prêmio é tão merecido. O crescente impacto que o Escritório da Comunhão Anglicana nas Nações Unidas está tendo, não só em Nova York, mas em outras esferas, é testemunho de nossa equipe dedicada, incluindo o papel de Jillian como líder do escritório de Nova York e diretora de Advocacy. Espero muito que esse prêmio seja uma plataforma para o impacto do Escritório da Comunhão Anglicana nas Nações Unidas.”
 
Jillian é diretora de Advocacy e diretora do Escritório da Comunhão Anglicana nas Nações Unidas em Nova York. Também já atuou como diretora interina do Escritório do Conselho Mundial de Igrejas nas Nações Unidas. Além dos cargos acima, Jillian também é co-presidente da Ecumenical Women at the United Nations (“Mulheres Ecumênicas nas Nações Unidas”), uma coalizão de 18 organizações religiosas que promovem questões de gênero; membro do Grupo de Trabalho de ONGs do Conselho de Segurança; e membro do Comitê Diretor Mundial do Escritório das Nações Unidas para a Prevenção de Genocídios. Ela também está cursando um Mestrado em Assuntos Globais na Universidade de Nova York, com foco na construção da paz e estudos globais de gênero.
 
Durante a cerimônia de premiação, o vice-presidente do Conselho Executivo do Comitê de Valores Espirituais e Preocupações Globais das Nações Unidas em Nova York, o rabino Roger Ross, compartilhou uma história espiritual da ONU, que, segundo ele, foi fundada em princípios espirituais com a dignidade humana em seu cerne. Ele disse: “Na minha humilde opinião, sem uma base de espiritualidade, a ONU nunca poderia ter se tornado a fonte de cura e unidade que representa.”
 
Ele explicou como os prêmios são gerenciados pelo Comitê de ONGs sobre Espiritualidade, Valores e Interesses Globais (Genebra e Nova York), que visa trazer dimensões espirituais e de valores a todas as áreas da agenda e das políticas públicas das Nações Unidas.
 
Após a cerimônia, Jillian disse que recebe o prêmio com honra e humildade, e prestou homenagem aos amigos e colegas: “eles me viram me esforçar, crescer e expandir ao longo dos anos. Este prêmio, em particular, é um grande lembrete de que, apesar dos desafios persistentes que enfrentamos em nosso trabalho coletivo, estamos unidos em nossas esperanças para o mundo no espírito fundador das Nações Unidas. Mais importante ainda, devemos continuar reunindo os recursos espirituais necessários para manter essa visão – em toda a ONU, na sociedade civil em geral e em organizações religiosas.”
 
Fonte: Anglican Communion News Service
Foto: Reprodução